Resenha: A Culpa é das Estrelas

Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, estou muito grata por isso… (pág. 235)

 
 
 
 
 
 

 

Título: A Culpa é das Estrelas
Título Original: The Fault in Our Stars
Autor: John Green
Páginas: 288
Ano de Lançamento: 2012
Editora: Intrínseca
Gênero: Ficção Americana

Boa tarde gente, depois de muito tempo aqui está a tão prometida resenha de: A CULPA É DAS ESTRELAS (ACEDE)!!!

Quem nunca ouviu um pouco da história de Hazel e Gus? Acho que (quase) todos já ouviram ou até já leu em algum lugar um pouco sobre eles (é incrível a quantidade de spoiler que você encontra sobre “A culpa é das estrelas”. Antes mesmo de ler, eu já sabia do final ¬¬’). Mas, foi de tanto ouvir sobre eles que me interessei pela história, quis saber que livro era esse que fazia com que as pessoas se emocionassem, queria saber o que o Sr. Green escreveu para fazer com que as pessoas amassem esse livro.

Então eis que me surge Hazel Grace uma adolescente de 16 anos, que tinha tireoide com metástase nos pulmões, ela sobrevive com ajuda de um remédio, mas que um dos médicos acha que esse remédio pode estar piorando os pulmões dela; ela, também, precisava levar para todos os lugares que ia um cilindro de oxigênio (que levava em um carrinho). O grande problema de Hazel é acreditar que em breve irá morrer, já que ela foi diagnostica em estado terminal. Parece que tudo na vida de Hazel gira em torno disso e que só a levará a morte. Até que…

Em uma tarde no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer (no qual Hazel frequentava) aparece Agustus Waters (), ele tinha ido ao grupo para fazer companhia ao amigo Isaac (que tinha câncer nos olhos). Gus tinha 17 anos e teve uma “pitada” de osteossarcoma, adora metáforas e é gato.

Augustus não parava de olhar para Hazel naquela tarde, o que ela acaba achando estranho: “ Na boa, vou logo dizendo: ele era um gato. Se um cara que não é gato encara você sem parar, isso é, na melhor das hipóteses, esquisito, e na pior, algum tipo de assédio. Mas se é um cara gato… Na boa… (pág. 16)”

Assim, começou a história deles, assim começou o pequeno infinito deles, que apesar de Hazel não querer mais uma pessoa que fosse se machucar com a morte dela (os pais já era o bastante e a dor deles, ela não poderia evitar), ela foi se apaixonando por Gus do mesmo jeito que alguém cai no sono: “Gradativamente e de repente, de uma hora pra outra.”

Basicamente é isso, em quase todo o livro você lê como foi o amor dos dois e como era a luta de Hazel com o câncer. O que realmente achei desse livro? É uma boa pergunta kkk, não sei o que responder, o livro é bom, mas fiquei meio sem reação, sem saber realmente o que achei. Não me emocionei, não chorei; mas, ri em alguns momentos, gostei da história vivida por Hazel e Gus. Porém, é só isso. Pretendo reler esse livro, e tentar me apaixonar por ele (me senti anormal por não ter me apaixonado tanto por eles)…

Entretanto, sim, estou muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito ansiosa para o filme. x)

Confiram:

Sinopse: Você pode conferir aqui.

Jusley A.

Anúncios

Experiência #1: Fazer uma Tatuagem!

Porque decidi começar as experiências falando de tatuagem? Assumo que falar sobre elas não foi minha primeira ideia, mas por fim acabei me deixando levar pelas tattoos. Entretanto, o verdadeiro motivo foi minha curiosidade por esse mundo de tatuagens, quero entender mais esse mundo e principalmente porque essa (com certeza) será uma das experiências que irei realizar. (A tatuagem que penso em fazer, com minha irmã, é aquela ↑, linda né? *-*).

A História:

Muitos consideram a tatuagem como um ato de rebeldia, mas (quase) ninguém realmente sabe como elas surgiram ou significado que elas tiveram. Têm até indicações que a prática de marcar o corpo é tão antiga quanto à própria humanidade.

   

A prática se espalhou por todos os continentes, com finalidades diferentes: rituais religiosos, identificação de grupos sociais, marcação de prisioneiros e escravos, ornamentação e até mesmo camuflagem. Mas, no Ocidente a técnica caiu em desuso com o cristianismo, que a proibiu.

                 

O navegador inglês James Cook foi muito importante, pois ao realizar uma expedição à Polinésia registrou o costume em seu diário de bordo: “Homens e mulheres pintam seus corpos. Na língua deles, chamam isso de tatau. Injetam pigmento preto sob a pele de tal modo que o traço se torna indelével”. E, cem anos depois, Charles Darwin afirmou que nenhuma nação desconhecia a arte da tatuagem. No final do séc. XX, a pele desenhada, que antes era uma característica quase exclusiva para os marinheiros e presidiários, tornou-se uma moda (que é duradoura) entre os jovens.

  

Quem pode fazer?

Na verdade é exigido ter no mínimo 18 anos para fazer uma tatuagem, mas, quem é menor de idade e quer ter uma, pode fazer. Porém, é preciso ter uma autorização dos pais. Em minha opinião, esperem ter 18 anos ou maturidade suficiente para fazer uma, pois uma tattoo é para sempre! (E para remover depois com laser custa caro e pode até ser dolorido, até mais do que fazer a própria tatuagem).

   

O que escolher?

Existem vários desenhos, frases, ideias, que vocês podem encontrar na internet (e coloquei aqui, várias dicas para vocês se inspirarem), mas tente procurar um desenho que tenha algum significado especial, qualquer significado para você. Assim, fica mais difícil se arrepender depois e para quando perguntarem o porque da tatuagem, você terá uma história legal para contar. (:

  

Qual lugar fazer? Que lugar dói menos?

Não tem um lugar específico para onde dói mais ou menos, dizem até que diferencia de pessoa para pessoa (na verdade acredito nisso), já que cada um a suporta de um jeito diferente. Mas vamos lá ao que dizem: na costela e no pé recebem grandes reclamações nos estúdios; Esses locais possuem grande conjunto de nervos e uma pele mais delicada, aumentando a sensibilidade à dor.

Não é recomendável fazer nos dedos e palmas das mãos, nem perto da dobra do braço, pontos onde a pele se movimenta muito (o desenho tende a ficar mais borrado ou ter queloide). Os locais mais procurados são no pulso e no tornozelo.

Mas pra quem vai fazer a primeira tatuagem (como eu, futuramente), é indicado fazer em lugares mais escondidos, porque se você se arrepender, pelo menos não terá de encará-la o tempo todo (exemplo: costas, nuca, atrás das coxas, etc).

6 Dicas finais:

Antes de fazer uma tatuagem, vale seguir algumas dicas:

1º) Escolha bem o desenho ou a frase que irá colocar, pesquise bastante antes para não se arrepender depois. Vale lembrar que é algo que ficará pra sempre em você;

2º) Procure por um bom profissional, vale um tatuador indicado por algum amigo (mas, que também seja confiável);

3º) Confira o local para ver se realmente é higiênico: se o profissional usa máscara e luvas, se os materiais são descartáveis e esterilizados, etc;

4º) Converse com o tatuador, ele pode te dar várias dicas (inclusive do desenho escolhido);

5º) EVITE tatuar o nome de seu namorado(a), por exemplo, imagine que um dia o namoro acabe;

6º) Espere ter maturidade suficiente para fazê-la, não faça só porque seu/sua amigo(a) fez. Não vale a pena ser influenciado.

Por fim…

Falei com minha amiga, Melka; Sobre as tatuagens dela, nada como alguém que já tenha uma tatuagem para nos ajudar:

 Perguntei quantas tatuagens ela tinha, qual o significado delas e se doeu quando foi feita. Em resposta, ela disse:

Tenho 2 tatuagens, uma cruz e a palavra free. O significado da cruz é que sempre achei linda quando via em outras pessoas, e como acredito muito em Deus e tenho Ele comigo sempre, foi uma forma de dizer isso; A palavra free, porque quis dizer meio que: pessoa livre de pensamento ruins, livre de preconceito, livre de tudo que faz mal. E, em relação a dor, não doeu nadinha, bem suportável e super tranquilo.

• Quis saber por que ela escolheu fazer no braço, como foi a escolha do profissional e como os pais dela reagiram quando ela pensou em fazer uma tattoo. Ela disse:

Eu pensei: ‘se é pra fazer, ela tem q ser vista’ kkkkk, mas acho bem legal no braço, não gosto que fique muito escondida mesmo não. O profissional foi indicação de meu tio que conhece alguns tatuadores e me falou super bem dele. Quando pensei em fazer, minha mãe deu super apoio, na verdade até foi ela que me um empurrãozinho kkkk, ela adora e até vamos fazer outra juntas. Meu pai tem 4 tatuagens, então foi tranquilo também.

Quis saber também quais outras tatuagens ela pensa em fazer:

Então, com minha mãe a gente tá decidindo pela “mão de Deus” ou o apanhador de sonhos. E eu vou fazer uma agulha no braço também kkkk, pra representar a minha paixão por moda e duas frases. Por enquanto só kkkkk.

E por último, perguntei aquela que deve ser a maior preocupação de quem quer fazer uma tatuagem: Quais os cuidados que ela teve (e ela ainda falou o porquê que tem que cuidar).

Minha maior preocupação foi essa. Fiquei passando por um mês mais ou menos a pomada bepantol 3 vezes ao dia e fugindo o quanto podia do sol. Nada de praia nem piscina nos primeiros 15 dias, também. A pomada ainda hoje passo às vezes.. É sempre bom kkkk, e,  também, evitei comida carregada. Como a tattoo é uma ‘ferida’ por isso o uso da pomada pra proteger do ressecamento enquanto ela tiver sarando e hidratar.

Essas são as tattoos dela (particularmente, acho lindas):

   

Um recado final: Pensem bem antes de fazer uma tatuagem, elas estarão com vocês pelo resto das suas vidas. Não queira uma tatuagem qualquer, escolha uma com um significado especial (a que eu pretendo fazer mostra uma união com minha irmã, essa tatuagem vai ter um significado, e muito especial para mim e ela). Não faça só porque virou modinha.

Então é isso gente, espero que vocês gostem, e quero saber de vocês agora: Querem fazer uma tatuagem? Qual?

Obs.: Qual experiência vocês acham que deveríamos ter? Aceito sugestões… (:

Obs.2.: Quero agradecer a Melka por ter me ajudado… *-*

Beijos, até a próxima…

Jusley A.

Referências: Mundo Estranho #1,  Capricho, História do Mundo, Mundo Estranho #2Cuidados com sua tattoo e por fim, na revista Capricho edição nº 1182 (25.AGO.2013). Confiram, vale a pena. (;

Novidade!

Oi gente… Bom, vou começar uma parte nova aqui no blog “Seja louco(a) por viver”, o que vou colocar aqui (acho) que não tem muito ligação em te tornar um louco(a) pela vida, ou talvez sim, cada qual que dê sua opinião.

O que vocês irão encontrar aqui são assuntos que, pode-se dizer, vão lhe fazer aproveitar mais a vida, ou como minha irmã diz: “Temos que passar por todas as experiências possíveis nessa vida” (que por sinal, vai virar “lema” dessa parte do blog), então vamos passar por todas elas, vamos aproveitar essas oportunidades enquanto podemos. E vou tentar passar para vocês as experiências que julgo que devemos passar, ou pelo menos tentar.

A primeira experiência já está sendo escrita… E, em breve vocês irão poder ver aqui. Mas, para quem ficou curioso a primeira experiência é: FAZER UMA TATUAGEM! *-*

Até breve… Beijos.

Jusley A.

O que estou lendo…

Depois da ressaca literária ter “passado” (na verdade ainda não passou, kkk), comecei a ler:

Sinopse: A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer – a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

Finalmente me rendi a esse livro tão comentado, e que tem um filme tão esperado. Assumo que ainda não vi o trailer do filme, pois não quero ver nada antes de terminá-lo. E se eu estou gostando? Acho que quem já leu esse livro, sabe muito bem que é inevitável não gostar dele (Hazel & Gus ♥).

Em breve colocarei uma resenha sobre ele e também o link para vocês verem o trailer, e para quem ainda não sabe, o filme “A Culpa é das Estrelas” tem estreia marcada para o dia 13 de junho. Já podem começar a contar os dias para o lançamento gente. \o/

Beijos, até a próxima…

Obs.: A sinopse que foi disponibilizada aqui foi encontrada no SKOOB.

Jusley A.