Resenha: Como Eu Era Antes de Você

[…] Existem horas normais e horas inúteis, nas quais o tempo para e escorre e a vida – a vida real – parece distante. [Pg. 77]

Título: Como Eu Era Antes de Você
Título Original: Me Before You
Autor: Jojo Moyes
Páginas: 320
Ano de Lançamento: 2013
Editora: Intrínseca
Gênero: Ficção Inglesa

Acabei de ler este livro a pouco tempo e estou aqui em frente a ele (e ao computador) sem saber o que pensar. Uma coisa tenho certeza, é uma história diferente das outras que você (e eu) já leu…

Louisa Clark, ou Lou como é chamada pela maioria, achava que sabia de tudo (o que ela queria, o que ela achava que seria melhor para ela, o que ela sentia, enfim…) até perder o seu emprego e se ver em uma situação que nunca fora imaginada, a muito tempo em um mesmo trabalho a fazia acreditar que não receberia uma demissão. Desempregada e preocupada (pois era ela a principal renda da família e, também, por não ter, digamos, o melhor currículo que se possa imaginar), o jeito foi recorrer ao centro de empregos. Assim, ela encontra aquele que aparenta ser sua única opção de emprego: Cuidar de um tetraplégico (isso ou ser dançarina de poli dance).

Eis então que Lou consegue o emprego de 6 meses na casa dos Traynor (a entrevista de emprego não a fazia acreditar que conseguiria), onde sua função era “cuidar” de Will Traynor…

William Traynor, tetraplégico de 35 anos, com lesão na C4 e C5, teve um acidente estúpido que ocorreu a 2 anos atrás e que tinha lhe deixado amargo e infeliz (isso acabava afetando todos aqueles que estavam a sua volta) e se tudo isso não bastasse ele aparentava querer por um fim nessa história de “cadeira de rodas”. Ao vê-lo assim era até difícil de acreditar que antes disso tudo ele era um cara bem sucedido no emprego, que conseguia aproveitar todo o tempo livre que tinha, com uma vida “incrível”, com tudo que ele queria. Após ver a vida que ele tinha e a vida que ele teve depois do acidente é possível entender o motivo dele ser tão arrogante e infeliz.

Lou e Will não se deram muito bem de início, o que tornava a convivência complicada (já que Louisa tinha que passar grande parte do seu dia com ele), Will não deixava Clark se aproximar dele (e seus motivos são compreensíveis). Mas claro que ele só tratava ela assim no começo, Louisa conseguiu perceber que Will agia assim graças aos problemas que ele enfrentava e que isso faria qualquer pessoa se tornar amarga. A partir daí ela teve a ideia de fazer com que William perceba que, apesar dele estar preso em uma cadeira de rodas, ele pode ter uma vida incrível, divertida e que vale a pena ser vivida. Será então que ela vai conseguir fazer com que ele comece a enxergar sua vida de uma forma diferente?

O livro é muito bem escrito por Jojo Moyes, com uma história quase toda contada por Louisa sendo alguns capítulos contados por outros personagens. Ao mesmo tempo que a história é dramática é também apaixonante, triste e alegre, envolvendo alguns segredos, superação e mostra que uma amizade (ou quando você tem pessoas que realmente querem o seu bem) pode fazer grande diferença em sua vida e lhe ajudar muito. Apesar de ter um final que já esperamos só conseguimos parar quando chegamos a última folha.

Qual lição tirar dele? Que cada um tem o direito de escolher o que quer da vida, mesmo que isso não faça todos a sua volta feliz. E o que achei? Achei bom, mas estou me sentindo confusa, não consigo formar uma ideia concreta para ele. Entendo Will (e não gostaria de estar no lugar dele, não saberia o que fazer, muito menos que decisão tomar) e Lou, MAAAS… Deve ser esse “mas” que me impede de formar algo mais concreto sobre ele. Porém, sim, gostei. E espero que vocês gostem e pensem/reflitam sobre esse livro.

Quotes:

“[…] A primavera chegou durante a noite, como se o inverno fosse um hóspede indesejado que de repente resolveu vestir seu casaco e desaparecer sem se despedir.” [Pg. 83]

“[…] Que todos nós éramos parte de um grande ciclo, algum tipo de arranjo cuja finalidade só Deus poderia entender.” [Pg. 98]

“[…] Enfim, com a cabeça pressionada contra o travesseiro, chorei porque minha vida de repente pareceu muito mais difícil de entender e muito mais complicado do que jamais havia imaginado, e desejei poder voltar até os dias em que minha maior preocupação era se Frank e eu tínhamos encomendado bolinhos Chelsea suficientes.” [Pg. 113]

“[…] Quer saber quando a realidade vence a esperança? – ele perguntava. – Programe um divertido dia ao ar livre com a família.” [Pg. 128]

“[…] Alguns erros… Apenas têm consequências maiores que outros.” [Pg. 221]

“[…] Você está marcada no meu coração, Clark. Desde o dia em que chegou, com suas roupas ridículas, suas piadas ruins e sua total incapacidade de disfarçar o que sente. Você mudou a minha vida…” [Pg. 317]

Sinopse: Você pode conferir aqui.

Por hoje é só, até a próxima, grandes beijos e abraços…

Jusley A.

P.S.: Amei a cor da “orelha do livro”, acho que o nome é esse, achei lindo esse rosa. Assim como achei linda a fonte usada no “eu” e no “você” no nome do livro (como vocês podem ver nas fotos).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s