Top 5: Pitty

Que vergonha gente, 6 dias sem nenhuma publicação. Me desculpem, dessa vez eu não sei o motivo do meu sumiço, na verdade acho que foi falta de criatividade ou criatividade em excesso (nas semanas que estou com muita criatividade acabo não conseguindo colocar a ideias em ordem). Mas hoje vamos de top 5? E desta vez é da PITTY!!

Número #1: Na Sua Estante

“[…] E não adianta nem me procurar em outros timbres, outros risos. Eu estava aqui o tempo todo, só você não viu.”

Número #2: Equalize

“[…] Eu vou equalizar você numa frequência que só a gente sabe. Eu te transformei nessa canção pra poder te gravar em mim.”

Número #3: Semana Que Vem

“[…] Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar, não deixe nada pra semana que vem porque semana que vem pode nem chegar. Pra depois, o tempo passar, não deixe nada pra semana que vem porque semana que vem pode nem chegar.”

Número #4: Pulsos

“[…] E um dia se atreveu a olhar pro alto tinha um céu mas não era azul. No cansaço de tentar quis desistir, se é coragem eu não sei.”

Número #5: Teto de vidro

“[…] Se vai ficar, se vai passar, não sei. E num piscar de olhos, lembro o tanto que falei, deixei, calei e até me importei. Mas não tem nada, eu tava mesmo errada. Cada um em seu casulo, em sua direção, vendo de camarote a novela da vida alheia. Sugerindo soluções, discutindo relações. Bem certos que a verdade cabe na palma da mão, mas isso não é uma questão de opinião.”

Gosto muito de Pitty. E a música dela que mais gosto é “Teto de Vidro”, principalmente esse trecho que compartilhei com vocês (Perfeita!). Espero que gostem das músicas que escolhi e para o próximo top 5 teremos: TAYLOR SWIFT!

Até a próxima gente, grandes beijos e abraços…

Experiência #5: Vida Universitária!

Oi loucos lindos, estou com tempo corrido como vocês já sabem disso, além do mais tenho comentado em outras postagens que minha vida andava muito corrida por causa da universidade. E, aproveitando um tempo livre dessa correria, vim falar sobre isso hoje. Mas calma, não é da minha vida corrida que irei falar, na verdade vou falar da vida universitária (qual curso escolher, qual universidade escolher, se não gostar do curso o que fazer). Aproveitando um pouco esse clima “ENEM”…

Foto tirada na Universidade Federal de Sergipe.

Vocês devem estar se perguntando o motivo de ter colocado como experiência. Na verdade é algo muito simples de explicar: Minha vida universitária anda sendo a experiência mais louca que ando vivendo, mas não porque seja ruim e sim porque é uma das melhores fases que vivemos. E não vou falar muito de como ela é, pois: SÓ VIVENDO PARA SABER!

Qual curso escolher?

Vou falar de como eu escolhi o meu curso (Ciência da Computação).

Sinceramente, acho que a decisão do curso é a pior escolha que uma pessoa com 17/18 anos tem que tomar na vida. Pensem junto comigo: Uma garota de 17/18 anos mal sabe que roupa escolher para ir para uma festa, imagine uma decisão que pode mudar a vida dela totalmente rsrs. Brincadeiras a parte, essa ainda é uma decisão muito difícil para alguém que está saindo daquela fase de “conforto” que o colégio dá. Alguém que, provavelmente, ainda não tinha feito nenhuma grande decisão agora terá que parar e analisar qual a profissão que ela quer ter para o resto da vida! (#tenso)

Passada essa fase de “desespero”, chega a hora de decidir realmente o que você vai querer. Chega o momento de responder a pergunta mais aterrorizante que tem: “Que curso devo escolher?”. Não dá para dizer algo que possa facilitar sua vida, não tem uma dica que te ajude a fazer isso, a única pessoa capaz de responder isso é você mesmo. Então vou dizer como tomei minha decisão…

Na verdade nem me lembro muito como ciência da computação surgiu na minha vida, quando estamos no colégio o mundo universitário não é muito abordado até você chegar no 3º ano do ensino médio. E quando esse mundo surge, muitas vezes aparece com alguns cursos que todos conhecem. Então ficamos meio que em dúvida entre eles (os mais famosos), já repararam a quantidade de pessoas que pensam em fazer Direito/Engenharia/Medicina/Psicologia? Deixar claro que não vejo problema algum nisso, o único problema que enxergo é que muitas vezes é só falta de informação e essas pessoas acabam escolhendo um curso que está muito famoso na época. E o que acaba acontecendo? Ou desistem na metade do curso, ou se formam e são infelizes na área que estão.

O que eu estou querendo dizer com tudo isso é que meu curso não é muito conhecido (vamos ser sinceros, quantas pessoas conhecemos que fazem “Ciência da Computação”? Uma? rsrs), ou seja, eu não me conformei com os cursos que via a maioria fazendo.

Procurei aquele que tinha mais a minha cara, e não foi fácil. Fui procurando aos poucos, separando as matérias que mais gostava (SIIIM, isso ajuda muito, se eu odiasse matemática já podia excluir da lista de “possíveis cursos” todas as exatas que são muitas), depois pensei nos meus hobbies (sempre gostei de descobrir coisas novas para um computador/celular e, por mais besta que pareça, me ajuda no curso. Do que adianta eu escolher ciência da computação se não aguento ficar mais de 1 hora na frente de um computador tentado resolver algum problema? Sim, já passei por isso), após separar tudo isso, ouvi o conselho do meu pai: “Faça Ciência da Computação!”; E com o incentivo de um professor (de física), hoje posso dizer a vocês que CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO É O MEU CURSO e espero que continue sendo até o fim (foi graças a curiosidade de saber como funcionava a linguagem HTML que esse blog surgiu. Sim, não foi só graças aos livros e a música).

Quer escolher um curso? Não se conforme com as opções mais conhecidas. Vá atrás de algo que você se vê fazendo pro resto da vida. Olhe os cursos que as universidades disponibilizam, procure, se interesse. Não escolha o primeiro curso que vier na cabeça. Por fim, não escute ninguém (a não ser que você peça a opinião de alguém como eu fiz). ESCUTE SOMENTE A VOCÊ MESMO!! Mas claro que tudo isso é evitado quando você já possui um curso técnico e ama a área que está (como minha irmã).

E se mesmo assim quando você entrar acabar descobrindo que não gosta do curso (ou não gostou), lembre que todo dia é um novo dia para um novo começo. Basta ter coragem para recomeçar.

UNIVERSIDADE PARTICULAR vs UNIVERSIDADE FEDERAL

Antes que vocês comecem a me julgar achando que irei defender a Federal só porque estudo em uma, sinto decepcionar vocês mas não vou fazer isso. Não irei defender nenhuma delas. Mas irei dizer qual eu mais gostei. Além do mais, já estudei durante 1 ano em uma particular também, então: SIM, eu posso dar minha opinião VÁLIDA sobre as duas!!!

Não vou dizer nada em relação a: Ensino, estrutura ou valor (caso queira saber algo sobre isso, pode perguntar minha opinião nos comentários). Só irei dizer como você deve fazer sua escolha (ou melhor dizendo, como fiz a minha).

Ambas são mundos totalmente diferentes, ambas irão dar o melhor que você precisa. Basta você perceber em qual delas você se encaixa. SIM, em qual você se ENCAIXA e não em qual você sonha em ir. Você pode sonhar muito em ir para federal, por exemplo, mas talvez lá não seja seu lugar.

Eu sempre sonhei ir pra federal (SEMPRE!), mas não consegui ir no primeiro ano que fiz o ENEM (para ver a postagem especial do ENEM clique aqui). Porém consegui ir para particular e fiquei muito feliz (literalmente). Era o curso que queria fazer e não ficaria em casa sem fazer nada (e ficar em casa sem fazer nada era o que eu menos queria). Entretanto, não me encaixava, não me sentia bem naquele ambiente (o que mais me incomodava era o valor, saber que todo mês meu pai se “rebolava” para pagar me deixava muito mal). Do que adiantava ficar em lugar que não nos sentimos bem? O que eu ganhava continuando ali? Eu me sentia OBRIGADA a ir pra universidade todos os dias. Precisava sair…

Tentei o ENEM novamente e antes que saísse o resultado, abriram vagas para participante externo na federal e essa seria minha última tentativa para entrar. E sabe quando você tem a certeza de que algo vai acontecer? Eu tinha, quando me inscrevi para participante externo era como se eu já soubesse que iria conseguir. Dito e certo, consegui entrar. E qual a diferença? Eu me encaixei, eu não me sentia mais obrigada a ir a universidade. Eu ia/vou porque quero e gosto de estar lá.

Não foi porque eu sempre sonhei em estar lá, mas porque eu me encaixei lá. São mundos totalmente diferentes, ambos incríveis. Mas, pra mim, a federal sempre será a melhor! Se serve como um bom conselho: Peça opinião a quem está na federal e quem está na particular. Depois tente se imaginar em uma das duas. Quando você decidir é só ir atrás do seu “sonho”.

Considerações Finais:

Aproveite a fase do colégio, pois vida universitária é um loucura (6 meses irão parecer 1 ano). E vão preparados para experiência mais louca que (provavelmente) vocês irão ter. E assim finalizo esse “pequeno” post…

Grandes beijos e abraços…

Top 5: Bruno Mars

Oi gente, boa noite. *-*

Sumi por quase uma semana, mas tenho um bom motivo. Essa semana tive muita, muita, muita coisa da UFS para resolver (nem tive tempo para ler :/ ), mas finalmente arrumei um tempinho para aparecer por aqui. E decidi que iria vim para falar de um cantor que gosto muito, as músicas dele me faz lembrar de pessoas que me fazem muito bem. Com vocês: BRUNO MARS!

Número #1: The Lazy Song

“[…] Hoje eu não estou com vontade de fazer nada só quero ficar deitado na cama, não quero atender o telefone. Então deixe o recado na secretária eletrônica, pois juro que hoje eu não quero fazer nada.” 

Número #2: Count On Me

“[…] Você pode contar comigo como 1 2 3, eu estarei lá. E sei que quando eu precisar, posso contar com você como quatro, três, dois. E você estará lá porque é isso que os amigos devem fazer.” 

Número #3: Talking To The Moon

“[…] À noite quando as estrelas iluminam meu quarto, eu sento sozinho falando com a Lua. Tento chegar até você na esperança de que você esteja do outro lado falando comigo também, ou será que eu sou um tolo aqui sozinho conversando com a lua?” 

Número #4: Just The Way You Are

“[…] Quando eu vejo o seu rosto não há nada que eu mudaria, pois você é incrível exatamente como você é. E quando você sorri o mundo inteiro para e fica olhando por um tempo, pois, garota, você é incrível. Exatamente como você é.” 

Número #5: When I Was Your Man

“[…] Jovem demais, tolo demais para perceber que eu deveria ter lhe comprado flores e segurado sua mão. Deveria ter te dado as minhas horas quando tive a chance, ter levado você a todas as festas porque tudo o que queria era dançar. Agora minha garota está dançando, mas está dançando com outro homem.” 

E para o próximo top 5 teremos: PITTY!

Grandes beijos e abraços…

ENEM!

Olá queridos loucos, boa noite! *-*

Desculpa ter sumido esses dias meio que a UFS não me deu folga, não tive nem tempo de programar posts. Mas, o que importa é que hoje estou aqui.

E como vocês podem ver pelo título, hoje venho trazer um assunto que vocês devem ter ouvido falar durante essa semana toda, nem que seja um pouquinho, hoje decidi falar da maior prova do Brasil que acontece nesse final de semana: o ENEM! Vou dizer um pouco de como foi os anos que fiz essa prova e quem sabe algumas dicas, então vamos para o que interessa:

Para quem não sabe, o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) é um exame realizado pelo Ministério da Educação para avaliar a qualidade do ensino no país. Com o resultado dele vocês poderão ingressar em instituições de ensino superior pelo SiSu (Sistema de Seleção Unificada) ou tentar ganhar uma bolsa integral (ou parcial) para alguma instituição particular através do ProUni (Programa Universidade para Todos).

As provas são realizadas em um final de semana do ano. Onde são 90 questões (sendo 45 de ciências da natureza e suas tecnologias, e 45 de ciências humanas e suas tecnologias) com 4h30min de duração realizada no sábado, e 90 questões (sendo 45 de linguagens, códigos e suas tecnologias, e 45 de matemática e suas tecnologias, mais a redação) com 5h30min de duração realizada no domingo. Os portões dos colégios que sediarão as provas abrem às 12:00 e fecham às 13:00 pelo horário de Brasília (ou seja, caso onde você more não tem horário de verão os portões abrirão as 11:00 e fecharão às 12:00). Sempre achei um horário ruim pra início de prova.

Depois dessa parte meio clichê, vamos para minha experiência com o ENEM. Fiz essa prova dois anos seguidos, e ambos pelo mesmo motivo: ENTRAR NA FEDERAL!

Sendo sincera com vocês, caros leitores, ENEM não é o tipo de prova que eu consigo me dar bem. Sabe aquela prova que você fazia com um texto enorme e que você lia todo para responder umas 5 questões. Pronto. O ENEM é quase isso, a diferença é que (a maioria das vezes) é um único texto para cada questão. Então já viu, tem que ter leitura rápida, e era aí que eu me perdia sempre (eu leio muito, mas isso nunca me ajudou a ter leitura rápida).

Nos dois anos que fiz o exame fiquei até o final da prova e até hoje me pergunto como alguém consegue sair com 1 hora de prova. Caso você vá fazer esse ano: SIM! Vai ter pessoas que vão sair muito rápido e você vai se perguntar se ela é muito inteligente pra fazer a prova tão rápido ou se ela não está nem se preocupando com a prova. No fim, você se arrepende do tempo que perdeu olhando pra pessoa, esse tempo você poderia ter usado para responder mais uma questão.

Sem falar do tempo que você perdeu com o fiscal lendo as regras (alguns lêem, tive sorte de não pegar nenhum assim), de quando você foi ao banheiro, de quando você parou para beber água. E quando bate a fome, já era…

Mas se for falar das “maravilhas” do ENEM, vai deixar essa postagem maior do que já tá, então vamos para as:

Considerações finais:

ENEM vai tentar te vencer pelo cansaço, vai tentar te vencer pela quantidade de questões que tem, pela quantidade de textos que possuem, pela quantidade de pessoas que fazem, pelo fato dele ser algo que te faz ingressar em uma faculdade, enfim… Ele vai tentar te vencer de todas as formas, mas só você que vai deixar ou não ele ganhar. Ele não é um bicho de sete cabeça, e se serve como observação: ENEM é fácil, difícil mesmo é dentro da universidade!

Então tente manter a calma e seguir todas as dicas que receberam dos seus professores durante esse ano, todas as dicas deles são muito úteis e valiosas. Antes de ir embora, deixo duas dicas minhas: Tente ler a pergunta primeiro antes de ler o texto enorme, muitas vezes o texto que eles colocam é inútil e só serve como mera informação (que até poderia ser valiosa caso você não estivesse correndo contra o tempo). Então tente ver logo a pergunta e só depois leia o texto. E não perca muito tempo em uma mesma questão, não sabe? PULE!

Por fim, desejo a todos vocês que vão fazer o ENEM esse ano boa sorte. Mas, quero desejar boa sorte especialmente para: Meus primos (Carlos, Jamylle e João Victor) e meus amigos (Anderson, Camila, Cristina, Mateus e Milena), tudo dará certo, com fé em Deus! E se esqueci de falar de alguém, peço desculpas. Por hoje é só.

P.S.: Uma postagem diferente para desejar aos meus leitores, boa prova!

P.S.2.: POR FAVOR não falem: “Se eu passar no ENEM”. O ENEM não é o tipo de prova que você “passa”, ele só vai medir sua nota em relação ao ensino médio. SÓ.

Grandes beijos e abraços…